quinta-feira, agosto 19

Biografia de Elis Regina


Elis Regina Carvalho Costa foi uma das maiores cantoras da MPB e é considerada a cantora brasileira mais perfeita de todos os tempos. Sua obra permanece viva e atual mesmo após vinte anos de sua morte. Nasceu na cidade gaúcha de Porto Alegre, em 1945. Foi casada com Ronaldo Bôscoli, pai de João Marcelo Bôscoli, e com César Camargo Mariano, pai de Pedro Camargo Mariano e Maria Rita.

A primeira apresentação da cantora foi no programa infantil de rádio chamado O Clube do Guri, aos onze anos de idade. Em 1961, com apenas dezesseis anos, gravou o primeiro disco intitulado “Viva a Brotolândia”. Menos de cinco anos depois, o trabalho de Elis ganhou proporções nacionais quando ela venceu o primeiro Festival da MPB com a música "Arrastão", composta por Edu Lobo e Vinícius de Moraes. Além deste grande prêmio, o ano de 1965 reservava ainda mais surpresas. Elis e Jair Rodrigues gravaram o LP ao vivo “Dois na Bossa” e ganharam o programa de TV “O Fino da Bossa”, que ficou no ar até 1967.

Viajou à Europa, em 1968, lançando-se no cenário internacional da música, e tornou-se a primeira artista a se apresentar duas vezes no mesmo ano no Olympia, famoso teatro parisiense. Os anos 70 registraram o aprimoramento musical de Elis Regina. Esta década foi marcada pelos espetáculos de grande repercussão da cantora. Um deles, Falso Brilhante, ficou em cartaz por mais de um ano e teve 300 apresentações realizadas. Além deste, outros importantes espetáculos foram Transversal do Tempo, Saudades do Brasil e Trem Azul, o último antes de sua morte.

Aos 36 anos de idade, no dia 19 de janeiro de 1982, o Brasil e a MPB sofreram uma grande perda. Elis Regina faleceu devido a complicações em conseqüência a uma overdose de cocaína, tranqüilizantes e bebida alcoólica.

Elis Regina era conhecida pelo perfeccionismo com que conduzia seu trabalho. A energia e alegria que esbanjava junto da voz doce e suave conquistavam a todos que a ouviam. Lutou fortemente contra a ditadura através de sua música e foi uma das defensoras dos direitos dos músicos em Brasília, tornando-se a presidente do ASSIM (Associação de Intérpretes e de Músicos). Foi na voz de Elis que a música “O Bêbado e o Equilibrista”, composta por João Bosco e Aldir Blac, tornou-se o Hino da Anistia, e recepcionou os exilados que voltaram ao Brasil a partir de 1979.
Fonte: Muita Música

  

 Não tenho tempo de desfraldar outra bandeira que não seja a da compreensão do encontro e do entendimento entra as pessoas". (Elis Regina)


4 comentários:

  1. a muito tempo na praia da guanabara
    o dragão do mar reapareceu
    na figura de um bravo feiticeiro a quem q historia
    naum esqueceu conhecido como navegante negro
    tinha a dignada de um mestre sala .....

    bah Elis é era foi sempre sera tdo de bom
    bem adivinha o nome de minha filha kkkkkkkkkkkk
    Elis Vitória nem preciso falar mais nada né hehehe

    bjão guria

    ResponderExcluir
  2. Que bonito amo Elis... obrigada por colocar meus post adorei bjos!

    ResponderExcluir
  3. Essa moça era um problema rsrs Em Romaria, nos versos finais, pela beleza da poesia e emoção em sua voz, fez esse tonto aqui derramar algumas lágrimas de bobo. Até hoje, quando ouço essa música, fico meio assim assim. Quase só a ouço sozinho, para evitar micos em demasia rsrsrs

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Elis realmente era fantástica...

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita.